domingo, 14 de dezembro de 2014

Que triste não saber florir!



E olho para as flores e sorrio...
Não sei se elas me compreendem
Nem sei eu se as compreendo a elas,
Mas sei que a verdade está nelas e em mim
E na nossa comum divindade

Saint Remy de Provence

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

doo ba pa doo


Sur le pont d'Avignon, l'on y danse, l'on y danse
Sur le pont d'Avignon, l'on y danse tout en rond

sábado, 29 de novembro de 2014

comet tails


one for the road

Bergamo

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

roubo o teu sono



Mesmo que não venha mais ninguém
Ficamos só eu e você
Fazemos a festa, somos do mundo
Sempre fomos bons de conversar

Sortelha

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

maybe a year ain’t that long



Catch a train to nowhere town
And there is nothing left to do
Where I lived there was someone around
But now there’s not much left to hold on to

Almeida

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Isto não é o fon-fon-fon



Felizmente ainda há prazer
Navegar navegar navegar
A nação a renascer
Afro-xula para dançar

Foz-d'Égua

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Depois de tudo o que dei



Meu sonho é de armas e mar
Minha força é navegar
Meu Norte em contraluz
Meu fado é vento que leva e conduz

Quando este vento passar, será todo este talento que nos fará navegar (Rodrigo Viana de Freitas).

Piódão

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

New World in My View



Strange love
Cutest thing I ever seen
You remind me of something
That I have seen in a dream

This may be the last time we walk together 
This may be the last time we bound together 
This may be the last time we sing together
This may be the last time, i don't know..

Almeida

domingo, 12 de outubro de 2014

let's get high



High on love!

Ilha-de-Tavira

sábado, 4 de outubro de 2014

mammals














We're all alone, no chaperone
Can get our number
The world's in slumber
Let's misbehave!!!

There's something wild about you child
That's so contagious
Let's be outrageous
Let's misbehave!!!

Ilha-de-Tavira

domingo, 31 de agosto de 2014

Diamonds on the Soles of His Shoes



There's something wrong with this plot,
The actors here have not got a clue.

Almeida

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Caminhos por onde se queira perder



Esta morena não sabe o que o dia tem para lhe dar
Diz-me que tem namorado mas sem paixão no olhar.
Esta morena não dança quando lhe mostro Jobim,
Talvez não goste da letra, talvez não goste de mim.

Morena no fundo quer tempo para ser mulher
Morena não sabe bem, mas eu no fundo sei


Linhares

sábado, 14 de junho de 2014

Sem falsa fascinação



Desfaz o nó, destrava o pé, desmancha a trança e avança. Chocalha o chão, esquece os que estão, rasga o marasmo em ti mesma. Vê corações na cara que pões, vira do avesso esse enguiço. (pelo Chico)

Alte

terça-feira, 10 de junho de 2014

Mais tarde do que as outras

A mulher que chora baixinho, entre o ruído da multidão em vivas... o vendedor de ruas, que tem um pregão esquisito... Penso nisto, enterneço-me mas não sossego nunca.

Sorrio, porque, aqui, deitado, é outra coisa. A força de monótono, é diferente. E, à força de ser eu, durmo e esqueço que existo. Fica só, sem mim, que esqueci porque durmo, Lisboa com suas casas de várias cores.

Tasca do Careca, Saldanha, Lisboa

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Afago, a fogo, os embaraços


Quando o medo for saindo, e do mundo eu for sarando, dessa herança eu faço o manto, em que ambos cicatrizamos, e seguro: não receio o velho agravo que suturo.

Linhares

domingo, 1 de junho de 2014

good times



Babe we're running out of money
Honey we're running out of dough
Let's slow it all in a fiery bash
And the rest we'll put up into smoke

Marienbrüke, Neuschwanstein Schloss

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Meus pobres enganos



Ouça um bom conselho que eu lhe dou de graça
Inútil dormir que a dor não passa
Espere sentado ou você se cansa
Está provado, quem espera nunca alcança.

Venha, meu amigo, deixe esse regaço
Brinque com meu fogo, venha se queimar.
Faça como eu digo, faça como eu faço
Aja duas vezes antes de pensar.

Corro atrás do tempo, vim de não sei onde
Devagar é que não se vai longe
Eu semeio o vento na minha cidade
Vou pra rua e bebo a tempestade.

Linhares

domingo, 18 de maio de 2014

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Vidro aberto e rádio alto



E adiante pra qualquer lugar.

Foz-d'Égua

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Nunca foste cão


“Sei que andas por aí, oiço os teus passos em certas noites, quando me esqueço e fecho as portas começas a raspar devagarinho, às vezes rosnas, posso mesmo jurar que já te ouvi a uivar, cá em casa dizem que é o vento, eu sei que és tu, os cães também regressam, sei muito bem que andas por aí.” Manuel Alegre

sábado, 19 de abril de 2014

And we could dance.



Well I could call out when the going gets tough.
The things that we've learnt are no longer enough.
No language, just sound, that's all we need know,
To synchronise love to the beat of the show.

Dance, dance, dance, dance, dance, to the radio.
Dance, dance, dance, dance, dance, to the radio...

(fotografia pelo Chico, modificada por mim)

Sortelha

terça-feira, 25 de março de 2014

Sou Portuguesa



Ai que desgraça esta sorte que me assiste
Ai mas que sorte eu viver tão desgraçada
Na incerteza que nada mais certo existe
Além da grande incerteza de não estar certa de nada

Sentir-me triste
Só por me sentir tão bem
E alegre sentir-me bem
Só por eu andar tão triste

Sabugal

segunda-feira, 17 de março de 2014

Ele não é macho.



Se vais jogar até morrer, habilitas-te a perder.

Já só te falta seres mulher.

Alfama, Lisboa

quinta-feira, 13 de março de 2014

Strolling around my hometown



When you say you won't come home
When you don't pick up the phone
I say please do come home to me

When you just want to stay away
And just drive along that lost highway
I say please do come home to me

I know you wanna be alone
Here i stand in the twilight zone
I say please do come home to me

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

wakin on a pretty daze


Wakin on a pretty day
No use sayin nothin

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Tudo que nela se planta, tudo cresce e floresce.



Na mão direita tem uma roseira
Autenticando eterna primavera
E no jardim os urubus passeiam
A tarde inteira entre os girassóis.

Sítio-das-Fontes, Estômbar